O que é corpo?

O que é corpo?


Para a palavra corpo há derivações. Pode ser, por exemplo, a idéia do texto: “o corpo do texto”; a pouca ou a muita disposição: “de corpo mole”, “de corpo presente”; o crescimento, desenvolvimento da pessoa: “ganhar corpo”; livrar-se de trabalhos, complicações, escapar de certas situações: “tirar o corpo fora”. Mas aqui trabalharei apenas como o corpo sendo a substância física de cada homem ou animal.

O corpo humano pode ser considerado fonte de beleza para os vaidosos. Como já citei no contexto do artigo “Sexo, drogas e rock´n´roll ou Amor(?), anabolizantes e estampas?”, Quantas pessoas passam horas em frente ao espelho, na academia, em médicos especialistas, procurando uma perfeição inexistente, algo relativamente tão egocêntrico quanto os antigos planos presidenciais de Bush no poder norte-americano?

Pode também ser considerado fonte de preocupação. Quantas garotas tentam emagrecer ao extremo para ficarem mais parecidas com aquele galho de palmeira, ou com aquelas modelos famintas que passam no comercial fazendo ideologia eloqüente para o público seguir suas idéias, e na verdade desejam inconscientemente por um belo prato de comida e uma sobremesa bem deliciosa? Como também há os que não saem do “McDonald´s”, procurando ser o primeiro da fila dos pesos pesados, ou o primeiro da fila dos mortos, sendo que os maiores causadores de morte por câncer são as razões psicológicas (rancor, depressão, tristeza…) e os produtos industrializados. Coincidência, não?

O corpo pode servir como conteúdo de conhecimento, sabedoria, informação, culturas úteis ao processo intelectual de um ser humano. É claro, as idéias estão e ficam armazenadas na alma, assim já disse Platão. Mas o corpo participa desse desenvolvimento, pois ele o leva aos lugares que você necessita ir. Como disse o inventor americano Thomas Edison: “o propósito do corpo é levar o cérebro para passear”.

Pode ser fonte de ambição intelectual e material. Olhando-se o corpo de um indivíduo você pode ter noção de sua face, a famosa “primeira impressão”. O homem procura sempre saber mais e respectivamente, ter mais. É da natureza humana buscar o melhor e não contentar-se apenas com o que já tem. O filósofo alemão Schopenhauer afirmou: “todo homem toma os limites de seu próprio campo de visão como os limites do mundo”. Percebe-se que ele não estava errado. Enquanto as pessoas se preocupam com qual bolsa sair para jantar ou ir a alguma festa, animais inocentes são mortos por terem em sua epiderme a composição ideal para a fabricação das mesmas, sendo uma prática agradável a produtores e consumidores.

Agora vem uma das partes mais interessantes do corpo: o corpo como fonte de riqueza. Apesar de “muitos” poucos andarem com jóias e outras preciosidades em seu corpo, uma grande parte das pessoas não tem condições de andar nem com uma bijuteria, logo não falarei deste tipo de riqueza, mas a riqueza que todos tem ou podem ter. Explico-lhes. Se alguém pergunta “quanto custa o corpo humano?” muitos respondem: “não tem preço”. Embora seja sabido que muitos tem seu preço e que vender o corpo é a profissão mais antiga do mundo. Comercializar órgãos humanos é crime na maioria dos países. Pelas leis brasileiras, o corpo, vivo ou morto, no todo ou em cada uma de suas partes é res extra commercium, ou seja, fora de comercialização. Mas apesar da barreira legal, tem gente que ganha muito dinheiro com algumas partes do corpo, não só no mercado negro (onde um rim pode ser vendido por mais de 20 mil reais), mas também por vias legais: nos Estados Unidos e em outros países, quem doa sêmen, óvulos, sangue e leite materno ganha uma bonificação em dinheiro. A revista “Mundo Estranho” pesquisou o preço do corpo humano, surpreenda-se: DNA – 13,2 g de DNA placentário = 9,7 milhões de reais; gordura – 14 kg de ácido de esteárico = 400 reais; proteína – 11 kg de albumina de soro bovino = 38 mil reais; minerais – 3,9 kg de fosfatos de cálcio, magnésio e zinco, e cloretos de sódio e potássio = 1050 reais; açúcares – 1,1 kg e amido = 410 reais; água – 40 litros de água mineral = 15 reais. Total = 9 milhões e 740 mil reais. Cuidado, depois que você vendê-lo não terá mais. Aproveite sua riqueza.

 

José Douglas Alves dos Santos

jdneo@hotmail.com

(79) 8112 6581

Estudante de Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe

 

Referências:

Revista Mundo Estranho, Ed. nº. 60.

Mini Aurélio – o dicionário da língua portuguesa

 

 

23 respostas para “O que é corpo?”

  1. drug awareness ppt , http://www.westernscuba.com/ – purchase viagra It is mixed together with cocaine, for example, and is sold in clubs. cheap viagra online To find out if this cell damage actually affected fertility rates, the researchers compared the fertility of two groups of male mice, one of which had been given Viagra. discount viagra I think it is much worrying that some in-vitro fertilization clinics are using Viagra to be able to boost fertility results, Glenn said.

  2. Meeu Deus q texto eh esse?
    Mais 1 vez PARABÉNS meu amigo!
    Vc eh 1 gênio da Língua Portuguesa,escreve e fala muiiiito bem…
    Adoreei a finalização do texto…
    bjosss

  3. “Ao que foi dito e quisto”.
    Deleito e fito.
    Nenhuma palavra lavra
    Minhas áridas ramagens.
    Apenas o lido me lê em aresta,
    Pois mesmo na Sapucaí
    Nem tudo é f(r)esta.”

    (RAMON, Maurício, p.234)

    PARABÉNS! Nada mais justo,
    Advirem de um grande homem – grandes palavras.

  4. O Douglas consegue mesmo surpreender a cada produção textual. Continue escrevendo e nos prestigiando com a sua grande habilidade de lidar com as palavras.
    Bjs no coração.
    Sua amiga Rê

  5. gostei muito do texto, ao ler percebi que nem sempre é como pensamos ,,,o “corpo”
    me chamou atenção a parte que fala do corpo como fonte de riqueza..muito interessante. =]

  6. Gostei muito do texto,
    interessante, sacárstico, irônico.
    Gosto de idéias assim, novas e diferentes,
    que não seja apenas formal, mas que seja um
    formal acessível a todos.
    Parabéns ao autor e ao site,
    bem diversificado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *